O coletivo

A paranóia do desgaste da vida aqui no dia a dia do Recife assusta. Vários assaltos a ônibus por dia. É uma verdadeira loteria.

Para quem tem com quem se preocupar por causa disso, é uma situação aterrorizante.

É o meu caso.

E o tempo vai passando e nada de notícias.

Lógico, andar de ônibus hoje é esconder o aparelho de celular sempre, daí não se pode atender.

É o que vem acontecendo, e nessa loucura no trânsito da cidade, ficamos às vezes um bom tempo sem a menor notícia de quem se espera.

Portanto vai a dica…

Ouvir uma boa música, relaxar, fumar um cigarro (não recomendo para ninguém, meu vício idiota), e tentar fazer o tempo passar.

Tenho vários motivos para essa espera.

Essa espera é pela minha razão de sobrevida, sim, pois tive e estou tendo uma sobrevida!

E como viver sem um suporte que te faz acontecer e fazer ao mesmo tempo? Eu ando de muletas mesmo, dependo sempre de alguma pessoa para realizar alguma coisa completamente perfeita!

Mas tenho os meus méritos, pois sei exatamente os meus dons e minhas habilidades, e as coloco sempre a serviço do meu melhor “fator“: digestão!

Isso profissionalmente evidentemente!

Mas tudo sempre no final dá certo. Estou até afim de dar um rolé por aí, sair nessa madrugada perigosa, aproveitar a noite.

Porém tem o danado do ônibus…

Esperar sempre.

Desde a manhã.

Fico tranquilo sozinho em casa trabalhando, e essa minha produção é acima do esperado.

Me lembrei ate de uma música dos anos oitenta: “Ônibus nãaaaaaaaaaaaaaaaaao, ônibus“!

Somos todos reféns de alguma coisa…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s