Música, parceria, produção, adenalina!

Música é vida.

Estou digitando com a mão direita, porque a esquerda estou segurando meu celular no ouvido, escutando uma música inédita, do músico e compositor pernambucano Hélio Loyo Cavalcanti.

Estamos em fase de iniciação de diálogos sobre uma parceria de eu gravar mais cinco músicas dele, eu cantando, para se juntarem às cinco que eu já possuo, quatro já comigo, e uma que pode agora estar sendo mixada no interior da Paraíba, não tenho como confirmar ainda, em parceria com o multi instrumentista Rama On.

O conheci no evento do meu livro: “A dissertação da minha loucura“, em novembro passado, eles tocaram na oportunidade. Ele é o líder da banda Samsara, um trio, e me convidou para eu compor uma música que falasse de medicações, metendo o pau na sociedade.

Marcamos o dia, fui ao seu encontro, fiz a melodia, o Rama On colocou a melodia no seu exótico violão de oito cordas e assina a letra comigo.

O estúdio é o dele mesmo. Autorizado para eu colocar no meu EP, será uma composição minha cantada e gravada por outro artista. Aguardo inclusive notícias.

Mas Hélio Loyo Cavalcanti, filho do ILUSTRÍSSIMO Getúlio, precisa de apresentação? Sempre manda músicas para mim, tocadas e cantadas por ele no violão, no começo via Messenger, agora via Wathsapp, para eu escutar.

Mas como sou amigo de longas datas do seu irmão, o Cassius Cavalcanti, que está completamente envolvido com a música, com a agenda cheia a semana inteira, de manhã, de tarde e de noite, fora os eventos particulares, simplesmente completa!

O maior trovador de Pernambuco!

Já o encontrei muitas vezes em situações onde estávamos reunidos, os dez últimos boêmios, na casa de alguém, e Cassius nos presenteava com o seu Show particular.

E sempre dizia: ” agora eu vou cantar uma música do meu irmão Helinho, um grande compositor.”. E as músicas eram belíssimas.

Helinho, também o chamo assim, foi ou era, não sei afirmar se a banda está na ativa agora, da famosa QUEROSENE JACARÉ! Fez muito sucesso em uma boa parte dos meus tempos víntage.

Portanto se esta parceria for formalizada, inclusive já avisei a ele até o tom da minha voz: “o tom da minha voz é o mesmo da do de Frejat.”. Fica mais fácil, é só pegar um CD do Barão, e ver logo qual é, para readequar as notas no tom perfeito.

Estou de fato muito entusiasmado com essa possibilidade.

E acho que tem tudo para dar certo.

Assim Seja!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s