Suportar, apenas isso, nada mais a fazer…

Vivo dividido entre o muro da realidade e o muro da intolerância.

Vi muita coisa acontecer nessa vida, gente.

Viajei em universos mágicos que os livros me levaram, desde o primeiro revista em quadrinhos do Tio Patinhas que ganhei de presente, quando me alfabetizei, e de cara tive que encarar o classico “Viagem Insólita.”.

Acredito que muitos da minha geração devem lembrar-se deste texto de Disney.

Olha, este é um Post desabafo.

Sou sequelado, mas de verdade mesmo.

Não só pela minha doença neuropsiquiátrica, mas também por vários motivos que me reservo ao direito de não comentar, o velho Arquivo Confidencial.

Mas o fato é que eu sou completamente sequelado, principalmente pelo meu alcoolismo que me levou ao fundo do poço.

Mas vamos lá, coloquei este muro aí, como a arte gráfica.

Não sabia se falaria de Roger Waters e seu digníssimo protesto, no auge do Pink Floyd, bem, aos interessados: Google. Pois nem quero falar disso que é muito complexo.

Mas foi o maior protesto que vi na minha vida.

Queria retornar ao texto desabafo mesmo. Tenho “anjos” que me cercam, e que me protegem. E hoje, por mais difícil que seja, por ter de fato uma mente aqui declarada absolutamente sequelada, ainda sofrer mais uma variável de absurdos.

A cada dia um novo, e olha que quando acho que acabou, vem outro.

E tudo por um pós eleição.

Mas porra: EU NÃO SUPORTO MAIS!!!

Daí, do nada, os “anjos” aparecem.

Andava me perguntando a poucas semanas, que estava com medo de dormir, mas acabei de descobrir mesmo é que tenho medo de acordar.

Pois se o nosso computadorzinho que hoje é fundamental para trabalhar, é praticamente padrão, que logo após o desjejum olhamos, e olha que tem gente que nem espera, já vai nele direto, uma nova surpresa.

Este muro está dividindo o real do imaginário.

Um imaginário coletivo, diria até que mundial.

Pois as polarizações globais estão cada vez mais claras e evidentes para mim.

Isso é muito complexo mesmo.

Enquanto uns estão colocando comida para dentro de casa, ou tentando, outros passam fome mesmo.

Mas o mundo é dividido hoje em polaridades muito óbvias para mim.

Não estou falando do Brasil, aliás nem quero e nem nunca falei nada sobre política, e para não dizer que nunca, apenas quando achei necessário, por compreender que a catástrofe iminente iria acontecer, e mudei o discurso, porém não durou mais de dez dias.

Isso para mim foi um dever cívico.

Para conseguir colocar a cabeça no travesseiro e dormir sem culpas.

Mais quero aqui desenvolver um raciocínio sociológico de uma nova tendência MUNDIAL.

Observem?

Eu não vou ensinar não, porque quero que vocês aprendam a entender que coisas seríssimas estão acontecendo com o MUNDO.

O PLANETA TERRA!

E nada cósmico, é sociológico.

Olhe a extrema direita na Europa novamente? Na América do Norte e do Sul.

Isso aí é falta de memória, só posso acreditar nisso…

Os livros ainda não foram incinerados, leiam, por favor.

Vejam as lideranças mundiais de hoje: quem são?

Mais uma vez: Google!

Agora pergunto: esqueceram-se da ascensão de Hitler em 1933? Do Brasil em 1964? O que aconteceu com o resistente Chile?

Leiam, os livros ainda não foram incinerados.

Gente, isso é muito grave…

Mentes brilhantes idiotizadas, meu Deus?

Nem sei como acabar o que comecei, nem sei por que comecei, mas na verdade queria de fato desabafar com alguém. E a essa hora, só aqui mesmo, no meu solitário laptop.

Já passa das duas horas da manhã, aqui, todos dormem.

Pelo menos os que conheço, pois os seguidores estão aí, nessa virtualidade maluca, sabe-se lá se acordados ou dormindo. Não os conheço, nem sei de onde eles vem.

Queria agora sim, tomar um litro de aguardente. Mas óbvio que não vou tomar. É justamente agora que preciso de serenidade, e acredito que metralhei o alcoolismo.

Mas a droga que conheço que resolveria isso temporariamente, seria de fato uma garrafa de aguardente. E goela abaixo, sem nem precisar de mais de um minuto.

Pois o meu alcoolismo é tão severo, que consigo fazer isso com a maior facilidade de todas.

Eu não tenho medo de nada, pois um sequelado não teme, apenas sofre com fantasmas que o perseguem, e que às vezes é necessário um diálogo com uma mente sã, pra dimensionar o que é loucura e o que é realidade.

De fato nem sinto mais vontade de nada, até o meu apetite está indo embora…

Mas entendam, isso não significa que joguei a toalha, muito pelo contrário, é justamente por isso que estou aqui digitando. É para afastar esses fantasmas.

Bem, sei que muitos se agradam com a minha escrita, e isso é  importante, pois ser lido, é o clímax de quem exerce a Literatura. Até porque quando entendi que Literatura era “troco”, resolvi partir para outras escolhas, sem nunca abndoná-la, evidentemente.

Queria continuar, mas não irei, daria de fato um livro virtual.

Várias coisas aqui foram ditas, vários tópicos abordados, e me sinto na necessidade de não ter medo de acordar.

Pois entendi agora que é mais fácil dormir…

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s