Essa da arte gráfica? Levanto todos os dias!

Ser forte.

De que basta a força diante de uma iminente dúvida…a falta da interpretação dos signos.

Isso me preocupa muito, pois é justamente na interpretação dos signos que se entende tudo.

E eu não consigo entender que o que mais me importa neste mundo, são os MEUS, e por mais que me amem ou deixem de me amar, pois às vezes os MEUS,  de uma hora para outra viram: DE OUTROS?

Para mim isso até é fácil de compreender. E sei que muitos compreendem perfeitamente, mas é raro.

Pois Charles Sanders Peirce disse tudo, talvez tenha tentado a vida inteira dele ensinar isso, e nunca o compreenderam?

Na sua época?

E hoje, mesmo assim, existem acadêmicos altamente qualificados, com mentes brilhantes, que fazem grupos de estudos, para ainda o estudarem, quando o que para mim é até muito simples.

Gente, vamos utilizar apenas as observações, em aspectos plurais, os signos estão aí, não precisa de mediunidade, clic artístico, emocions de tecnologia ofertada para que fique prático e tão entendível, é tão óbvio, que parece que dá um “teto preto” em todo mundo, e um “apagão” no que está aí, bem nítido, diante dos seus olhos?

Eu só preciso que os meus glóbulos oculares estejam escondidos, pois não quero que ninguém saiba onde estão miradas as minhas retinas.

Quando assim preciso que se fique…

Pois estou sempre por aí, observando, em silêncio.

Realmente a falta de entendimento, o diálogo, é o que arruína tudo.

Por mais óbvio que seja as coisas para mim, em um gesto apenas “casual?”.

Já “mato!”, na hora?

Mas essa dificuldade em ser entendido, essa dificuldade que tenho em me fazer ser entendido, cega dos doutores acadêmicos, aos artistas, aos familiares que te viram crescer?

E agora vão dizer que estou escrevendo abstração no que para mim é tão óbvio?

Observem?

Concentração?

Sem comunicação nada é possível.

E isso tem sido para mim a total e absoluta dificuldade em levantar todos os dias?

O de ser entendido?

Isso é difícil sabe. Talvez alguns entendam sim, e talvez me subestimem.

Sim, e até sei quem é (são?).

E sempre que me subestimam: perdem!

Eu jamaios os subestimarei, pois entraria na mesma viés…

Estou falando para “ESSES.”.

Sei que “ESSES”, nem preciso mandar mensagens, ou por exemplo fazer com que eles leiam isso que estou digitando.

Eles me encontrarão.

Estou aqui, topo qualquer desafio.

Sou digno da cultura oriental, sou digno dos Samurais.

Portanto sei até mesmo, dignamente, dizer quando perdi.

Fácil, observem a cultura Samurai, e entenderão na hora, ou seja: orgulhosamente enterrar uma espada afiada no pâncreas.

Morte elegante, nobre e digna.

Súbita!!!

Digna por ter sido vencido por um adversário mais forte que ele.

Mas esta força não é a física, essa força é a mente mesmo, e falo da minha, em específico.

Pois gostaria muito de já ter enfiado esta espada afiada  no pâncreas, seria honroso para mim.

Mas isso não aconteceu ainda.

Mais de 47 anos…

Já chegando aos 48?

Falta apenas um mês e um dia?

Ok, topado o desafio…sem mais…

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s