Dores da vida

Tabagista?

Sim.

Drogas?

Não mais…ilícitas.

Lícitas?

Sim…as da papeleta psiquiátrica.

Bebe?

Não mais.

E esse foi o que ficou dessa minha vida de transtornos e aventuras, mas posso afirmar como ninguém: vivi uma vida que poucos viveram, e ainda tive o privilégio de escolher uma pessoa mais que especial, que está a quase sete anos comigo.

Ainda tenho um cachorro, um mini Poodle Toy, que acabou virando meu filho.

Sim, e a vida segue, temos que lidar com dores, rancores, olhares, reajustes, emocional, dimensional, profissional, e uma porrada de coisas mais que não vou mais dizer.

Mas o tabagismo ficou, como a última coisa desnecessária a eliminar, e confesso que é tarefa difícil mesmo.

Ainda me sinto um adolescente, não sei explicar, o que me faltaria para eu dizer: EU SOU UM ADULTO? Dependo de tantas pessoas ainda, tenho 48 anos, moro em imóvel familiar, não tenho fonte de renda, só reputação artística.

Muitos querem isso sabe, mas eu não. Queria viver mesmo em uma casinha de Sapê, só, sem dores, porque as dores são as piores de todas.

As dores são diversas. Acabo de vir do dentista e o negócio está feio para o meu lado, uma grande limpeza dentária, ainda um canal e uma coroa, isso sem contar com os constantes aparafusamentos dos implantes.

Dor de dente!

Estou em um momento da minha vida que muitos amados estão partindo, e esta cadeia vai aumentar mesmo. Já chegou na geração dos meus Pais.

Ainda lembro quando tinha Bisavô e Bisavó.

Velhos tempos…

Dimensionar tudo isso?

A dor da partida.

Essa será a pior de todas, e se não tiver um respaldo financeiro forte, talvez acabe na miséria mesmo, mas não me entrego, luto, bato na porta, insisto, e não paro em hipótese alguma.

Muitos me acham um vencedor, e eu olhando pelo lado dos outros, até poderia me considerar, mas de fato vivo com MEDOS. Muitos mesmo.

O desamparo é a pior coisa do mundo.

Ok, estamos aí para pagar o preço desse destino escroto, o que ele reserva para mim? De fato repito isso várias vezes: NÃO PEDI PARA NASCER!!!

Não acho a vida uma coisa legal, eu sou um cara pessimista?

Não gente, é só ter a sensibilidade de olhar ao seu redor, e falo do PLANETA INTEIRO. Olha, existe muita maldade nos olhos das pessoas, muita cobiça, inveja, desrespeito com o próximo.

Tenho muita pena dos miseráveis, mas o que fazer senão dar um prato que seria meu para eles?

Nada mais posso fazer?

Enfim, esse tal do papel moeda é que estraga a vida de todas as pessoas, de todos os Países, até de coisas divertidas como uma partida de futebol, torcer por um time.

Sempre tem o tal do papel moeda por trás de tudo.

Dores, sinto dores em mim, sinto dores nos outros, sinto dores, muitas dores…

Anúncios

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s