O exercício do PERDÃO

Vou aí, voando com esta bela Arte Gráfica.

Já fiz meu Inventário Moral, mas tendo sido educado por um Coronel, evidentemente que absorvi coisas que hoje já as retirei da minha essência.

Tive espingarda de chumbo?

Ótimo, mirava nos ratos, nos milhões de lixos que haviam na precária Piedade, hoje suntuoso bairro do Grande Recife, onde nasci e me criei.

E um dia dei um tiro em um pássaro, e ele caiu, e obserbei, acertei na perninha esqueda dele.

A mágoa bateu na hora, tirei sua liberdade, sua possibilidade de voar, e como única forma de aliviar o meu sofrimento, foi ter que às lágrimas, dar O TIRO DE MISERICÓRDIA.

Melhor que deixá-lo no chão, para ser devorado por um gato.

E nesse Inventário Moral, pedi perdão por isso, e pedirei milhões de vezes.

Pois sou livre, e mesmo idiotizado com uma arma, aos 14 anos, cometi este crime.

Fui culpado ou o irresponsável que pagou o presente?

Sou LIBERTÁRIO, não admito que retirem uma vírgula do que escrevo, sou minoria, sou S.T., como posso retirar a liberdade (antes da vida) de um belo pássaro?

E a única palavra é o perdão…mais uma do meu ARQUIVO CONFIDENCIAL.

Paguei o meu preço ao sacrificá-lo, mas voltei para a minha casa chorando, e abandonei a arma.

Ama de chumbo.

Arma que mata.

Liberdade.

Conceitos!

Lástima.

Crueldade!

Coronelismo!

Regimes!

Perdão, nobres leitores…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s