Cemitérios e estátuas

Nada, exatamente nada, vence o meu cérebro.

A sua psicomotricidade pode alterar.

Mas Mozart é tudo, diante de tanto delírio musical…aqueles leves e cativos.

Mas sua mente entra em delírio psicológico, sem estudo, só talento…Mozart continua.

Sabendo que sou automaticamente atingido, palpite inatingível.

O velho marujo do Cais da Sagração, afetuoso à sua embarcação, levu o leme rumo ao desconhecido…e essa estrada é esburacada.

E mentes que não conhecem minha essência, não sabem nem o que eu penso a respeito da morte, e de como morrer dignamente.

Sim, ela não chega para todos?

Desculpe nobres companheiros, esse santo (estátua) eu busquei de um cemitério de Amsterdã, por isso eu a coloquei aí.

Eu nem penso em mais nada, eu só quero é não ter amarras de ignorantes que me chantageiam para que eu não busque o que eu mais quero.

E isso é ARQUIVO CONFIDENCIAL!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s