Antologia do tempo grego

O mundo não é o bastante…o tempo também.

De que vale o tempo se desde que nascemos caminhamos cronologicamente rumo ao fim?

Para nos perturbar?

Olho para ontem e vejo o meu primeiro período de faculdade, 21 anos, hoje tenho 48. Mas foi ontem gente?

Eu de fato nem estou com vontade de dormir, vou ficando por aqui digitando o que vier na minha cabeça.

Tenho certos pudores em relação à relógios, ao tempo.

O tempo que nos faz algozes de nós mesmos?

A vida é breve?

Sim, sei que é.

Meu avô materno me ensinou isso quando eu era muito jovem, e ele doente dormia na minha cama, e eu no colchonete.

Ele me disse me vendo se vestir:” a vida é breve Gibinha.”!

Ele estava certo…ele se foi, e agora todos os meses um se vai, os pais, e depois vão ser os amigos.

Contando a um amigo íntimo que tenho pavor a velórios, só vou na missa de sétimo dia, ele indagou: “e se eu deixar um testamento em que falo que quero que você CARREGUE UMA DAS ALÇAS DO MEU CAIXÃO.”.

Sim, ele foi muito eficaz na resposta, teria que cumprir o seu desejo.

Será que ele fará isso mesmo?

Vamos lá, eu vivo a angústia dos acontecimentos de partida, sou de fato sensível a essas coisas.

MEUS PAIS ESTÃO VIVOS!!!

AMÉM!!! ASSIM SEJA!!!

ALELUIA!!!

Mas, bem, a vida é breve…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s