Lá fora, o luar.

Vamos lá, ninguém é tão certo de que o céu estará cheio de estrelas hoje.

O coiote uiva para o nada, seus sentidos são apurados, suas vertentes de habilidade também.

No caso específico da diversão plena, absoluta e virtualizada, para mim, é o fato de ter um teclado às mãos, e poder inventar as minhas fórmulas mágicas.

A escrita.

Sim, ela é a melhor de todas as terapias.

Com ela o tempo passa, com ela desabafo com o vento.

E assim, vou de encontro ao meu passatempo favorito, justamente no momento mais oportuno para isso, esperar a alvorada?

Talvez.

Tenho tido boas noites de sono, tenho acordado cedo, e quase todos os dias vejo o Sol.

Mas antes disso, tem que chegar o luar…e com ele as pétalas divinas e maravilhosas caírem com o relógio de areia no deserto, deserto absoluto, verdadeiro.

Só meu, só a mim me pertence.

As minhas retinas são a solução para todas as minhas escravidões de solidão sensorial.

Enfim, o tempo passou, o dia raiou, e a redenção, apenas um fator narcísico da fé.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s