Do real ao virtual

E a dama do nicho virtual, se achou no direito de negligenciar.

De que vale a negligência se não existe oposição (mais) do outro lado?

Ok, a dama do nicho virtual sabe bem das coisas, e a outra metade também.

Vida que segue para um mundo libertário, tamanho a sua magnitude bela e cheio de casualidades informais, com assuntos desagradáveis.

Discutir relações sempre é muito desgastante, concordam?

E assim o peregrino vai em busca da sombra fresca, e da brisa que lhe o acalenta.

Ele bem sabe das ciladas e perigos, até de um mundo idealizado pelo visionário Mc Luhan, o reflexo das sociedades robóticas faz de tudo um caminho e uma perseguição.

Somos perseguidos pela imaginação cibernética?

Ela ficou inteligente?

Sim, acho que sim.

Mc Luhan, a você, a minha reverência. Tiro-lhe um virtual chapéu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s