A retórica do barqueiro

Os barcos estão alinhados…não é o barqueiro, ainda.

Mas o barqueiro sabe bem onde guardar os cálices de sangue, ele sabe acompanhar os sistemas respiratórios, ele sabe onde quer chegar.

E assim, desmentindo tudo o que foi dito um dia, leva-se o engodo da rejeição aguda dos lunáticos e ambiciosos.

A ambição aqui apenas é na calada da madrugada, sentir o afago da mente humana, da misericórdia divina.

Somos ambicioos passageiros de alguma nave intergaláctica, vamos chegar ao lugar divino, assim é pensado pelo sagrado coração.

Vamos caminhar juntos.

De mãos dadas, para se poder levar adiante, tudo o que for necessário.

E nessa rotina sagrada, agradecer ao barqueiro por ele ter apenas acompanhado de longe.

Na verdade, não dou muita retórica ao barqueiro.

Ele a mim não pertence.

Eu não o quero.

Afasta de mim esse cálice.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s