A maré mansa

Característica do sistema de teorias conpiratórias é o fato de que nada é para sempre.

E caso fosse, não teríamos espaço para as velhas lamentações.

Sempre serão algozes do destino, os elementos pctóricos da mente humana.

Um quadro significativo a respeito das elaborações fisolóficas e contemplativas poderia ser pintado a partir de tamanhas representações do sentir, do refletir, do pesar enquanto lamento.

Mas os sentidos enigmáticos são mais verdadeiros como fator positivo.

A maré arrebenta para cima, sempre que ela é fustigada para o tal.

O alto relevo da Terra proporciona situações semelhantes.

Literalmente falando, os desejos não consumados podem virar assessório para lamentos posteriores.

O lamento se faz necessário para aqueles que não provaram do néctar das impurezas.

Tão sujos ficaram os dentes…

Tão sujos.

Sem inspiração para o tal, o filósofo caolho desnuda o seu semelhante e arrebenta na maré todos os seus lamentos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s