Do terreiro ao epicentro do mundo

Posso estar em uma encruzilhada, mas é nelas que o advento da macumba, incentivam as pessoas na arte da magia.

A magia negra?

Na religião escusa de quem a faz, nada mais que signos, significados.

Confesso que adorava tomar aguardente de macumba.

Talvez tenha feito vários churrasco com eles.

E nada me aconteceu.

Do terreiro me fiz homem.

O Pai Jacaré me abençoou, eu fiz a minha imersão nas ciências ocultas desde cedo.

E assim, adorava cruzar os caminhos da encruzilhada. Entre eles, foram diversos litros de aguardente.

Trõpego, depois de entornar mais um, observei o quanto a temeralidade dos fatos era assustador para os outros, porém em mim nada aconteceu.

Seria o meu santo forte?

Acredito que sim.

Do terreiro à rua.

Da macumba ao epicentro do mundo.

Fui à Palmelo.

Descobri a minha mediunidade, e dela não consegui mais desgarrar.

E para mim isso é que me importa, os litros de aguardente entornados, que fique apenas como lembrança do passado.

E que eu rasgue mais um capítulo sombrio de minha vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s