Meus retratos

O reencontro com a vida, a vida por si só obriga a pessoa a se adaptar a ela, reencontrar-se nela, é muito necessário.

Eu sinto dentro de mim uma veia pulsante por toda uma existência combalida de infortúnios, mas hoje a brisa faz parte da minha vida.

Nunca me furtei de enfrentá-la, em nenhum momento de minha existência.

A vida para mim sempre foi um desafio.

E esse desafio eu desfrutei enfrentando-o, olhando de cara para ele, e dizendo: “vida, quero te devorar.”.

Devorei por muito tempo, cada capítulo de sua estória.

E que estória…

Sub-dividi em literatura todos os fragmentos dela, e hoje possuo seis títulos, meus retratos retratados em romances.

Costumam dizer que eu escrevo sempre sobre mim, ok, se possuo vários retratos meus, por que não dissecá-los?

Ainda tenho vários outros retratos, eles irão aparecer com o passar de minha jornada neste mundo, às vezes ingrato, mas de ingratidão se brota uma boa literatura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s