O legado da lei

Ouvindo Matanza, fones no ouvido, é de se imaginar que a psicobicilina está em estado de euforia corporal.

Estou completamente letárgico, apenas esse som podreira nos meus ouvidos.

E nessa variante encontro um mote para desenvolver o post, e vou na sua onda surfar agora.

É bem certo que eu esteja um pouco sem estímulo para prosseguir, mas eu sempre caminho em linha reta.

Já se passaram várias reencarnações para que eu pudesse de fato descobrir a minha real missão aqui neste planeta.

E falo com a propriedade de quem já sofreu muito, pra caralho para ser mais específico numa adjetivação podre.

E estou aqui, fiel com os meus princípios, sedento de um pouco de justiça, pois ela tem de ser feita.

O que pretendo é o reconhecimento de muitos para a minha causa, a nossa causa, a militância na síndrome de Tourette.

Uma lei, apenas isso, e a minha missão em vida foi cumprida.

Na verdade passei por tudo isso, para no final da reta, conseguir aprovar apenas uma lei, e assim, o meu legado, a minha missão, foi cumprida fielmente.

A verdadeira encarnação da posteridade.

A verdadeira vida colocada em xeque, pois dela não quero mais nada levar.

Apenas deixar o meu legado.

Como se isso contasse ponto para a reencarnação, não, nada desta vida quero, apenas uma lei, e assim estarei satisfeito comigo mesmo.

Assim sendo, continuo, um dia de cada vez, na militância reta e em linha reta!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s