Venceremos por si só

Como poderia romper um cordão umbilical, se sou presos a uma pedra para nadar?

E daí a dificuldade de se respirar dentro de uma atmosfera lúdica, porém defeituosa sob o ponto de vista da dificuldade de se inserir dentro da sua sociedade.

A atmosfera social.

E por mais que eu tente, não vou conseguir nadar nem cem metros, pois as raias estão colocadas em sentido inverso, dentro das quatro linhas da piscina.

Não poderia nunca dizer que sou espelho que reflete o meu semblante, pois o reflexo é antagônico a minha necessidade de escapulir de uma vez por todas.

Deste mundo insano, deste viés da vida.

Pois temos que sobreviver, sempre.

Por mais difícil que seja esta vida, sobreviver a ela, sabendo que as dificuldades para mim são muito mais diféceis que para uma pessoa dita normal, poderia até classificar como treinamento.

Sim, passo por mil treinamentos de resistência.

Resisto a uma atmosfera incompreendida.

Vivo um espaço um milhão de vezes mais difícil.

Resisto e treino subsequentemente a todo um turbilhão social.

Sou vencedor de todas as provas do meu cotidiano, pois fui forjado à ferro e fogo.

E coloco um final majestoso para a minha trajetória.

Por assim dizer, largo na última colocação, e chego sempre em primeiro lugar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s