Pecados

Nunca antes estive perante o senhor, orando a prece da serenidade, para fugir do mal, um dia de cada vez.

Contrário ao fundamental e enigmático pesar, é a recaída de outrora, mas este mal está fora de ação no meu raio de possibilidade.

Sim, estou blindado.

Os vícios mundanos estão fora de cogitção para sempre e sempre, porém, um dia de cada vez.

Sou servo do meu destino, sou a próspera e fortuita encomenda para o santificao dia, um prato com hóstias novas e crocantes.

Vou degustar todo um cálice de hóstias, não mais de vinho, o sangue de Cristo não será mais comungado por mim.

Só o corpo, apenas ele.

A justiça abençoada e divina, é para mim o regresso de uma fortuita vida, cheia de pecados, mas fortuita no acúmulo de criação.

Sempre fui criativo na minha vida, sempre.

Para sempre um pedaço de criação, para tantos elevados e complexos fragmentos criativos, um ponto a mais nas minhas orações.

E se pequei, foi por querer sempre ser mais, nada mais do que isso.

Abençoado e maravilhoso dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s