A dose da morte

Andando pelos caminhos tortuosos da sinistra vida, observo o espectro que paira por cima de minha sacra personificação em forma de imagem.

Elevo meu pensamento para os altíssimos graus de meditação, e vejo virar poeira toda a minha elevação.

Trocando a noite pelo dia, vejo as madrugadas voarem por minha testa, e elas passam rápido demais.

Um bom metal tocando no pé do ouvido, entro em sintonia perversa.

Muito gratificante passar o dia inteiro a espera da madrugada maligna, esta que me pertence no atual momento.

Aqui deixo a minha perplexidade pelos inóspitos caminhos que me perseguem na falta de autonomia que foi atribuída a mim.

Vamos viver abundantemente, vamos reconstruir tudo o que ficou para trás, o que poderia passar virou agora pauta para a verossímil e estreita luminosidade divina.

Vamos iluminar as trilhas que eu agora piso, estou deveras perplexo com a vida.

Intimamente a situação é de conforto, pois se mede a morosidade pelo silêncio introspectivo, e esse eu os tenho.

Avante nobres guerreiros, detonei todos os meus conflitos e estigmas, sou a esplendorosa magnitude complacida de morte e pavor.

Uma dose para um condenado, por gentileza..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s