Matéria viva

Perverso até o ponto da primeira palavra ser dita.

Daí a perversidade acaba e entra o enigmático caminho para as estrelas.

O encontro terá de ser marcado por nuances de fato articulados dentro de uma retórica comum.

Dentro de um embrionário casulo de raciocínio, vislumbro a sagacidade com que um dia me fiz de rogado e peguei no punhal para me defender.

A dama da noite dorme, e com ela os sonhos secretos estão povoando a sua mente, tamanho é o seu reflexo para com as diretrizes do bem querer.

O maior de todos os elos de encaixe com o tangível mundo dos sonhos, traz com a métrica do pesadelo, os espasmos para serem administrados.

O tamanho da plenitude é comparado ao sabor da intimidade para com os mesmos que não atingiram a reta de chegada.

O fim, finalmente canalizado na metáfora do dizer, é justamente a linha de partida, onde tudo deveria começar, fato.

E acaba-se no fim, o começo de uma nova era, e na partida mais um final triunfal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s