O testamento do portador

Foto por Tomu00e1u0161 Malu00edk em Pexels.com

Eu tenho em mãos o testamento do desamparado, não sei exatamente como contemplá-lo.

Vivi uma vida de lutas, e lutei bravamente contra mim mesmo.

Eu fui o meu maior opositor.

Minhas sequelas neuropsiquiátricas me deixaram órfão da soberba, e agora curado do alcoolismo, me vejo órfão da sustentabilidade.

Não tenho como me sustentar, e isso é fato.

Nunca teria como, e isso é o reflexo de todos os meus infortúnios, uns mais pesados que os outros, a minha situação cognitiva me bloqueou.

Agora eu luto por um prato de comida.

No testamento deixado para mim, nenhuma bonança.

Como poderia pensar em ter uma vida diferente, se de fato nunca ter pedido para nescer?

Nascer para mim já foi uma vitória.

Ter chegado aos quase cinquenta outra.

Agora, luto por uma lei que possa me dar um prato de comida.

Sou Tourette, com as forças das minhas impurezas.

Posso estar delirando por uma certa mendicância, mas escrevo a mais pura realidade, e neste hipotético testamento, não seria somente o meu, mas o de nós todos, portadores de Tourette.

Uma luz no fim do túnel, uma sobrevida, nada mais que isso.

Vamos lutar, vamos conceber o máximo de prudência.

É uma luta insólita, é uma luta titânica.

Não esquecendo a minha dislexia com álgebra e meu TOC e TDAH.

O pacote de grego.

Respiro por um segundo, um minuto, uma hora, 24 horas.

Um dia de cada vez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s