Um sábado qualquer

Foto por Jonny Lew em Pexels.com

Teria quase a metade dos meus tormentos, se quisesse de fato encarar uma vida serena, mas antes de tudo a outra metade me persegue.

Mas a clareza com que me elevo espiritualmente, me leva a um escape de resistência, e nele me agarro para conseguir respirar.

Agora estou com uma situação controlada.

Sereno na tarde de um sábado, espero o almoço para enfim ir fazer as comprars.

E como eu odeio supermercado…

Mas não posso fugir da realidade, esta realidade se apresenta para todos, e a reposição se faz sempre necessária.

Vou ditar os meus tormentos, e eles são fartos de adrenalina, estou quase combalido, mas procuro forças dentro de uma névoa de poeira.

Os resquícios de uma vida confusa.

Não posso mais regular as minhas intenções de votos de prosperidade, tenho que me recolher ao meu íntimo desejo, aquele mensurável.

A tarde de sábado se adrentra, e eu só quero é paz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s