O inverso submerso

Foto por Leonid Danilov em Pexels.com

Como deveria me sobrepor às situações que permeiam o meu imaginário?

Certos caminhos referentes à minha trajetória se assemelham ao verdadeiro problema em questão.

Se tenho uma vida atribulada nos dizeres e afazeres da rotina, me pego inúmeras vezes com os segmentos da impessoalidade, fragmentados no meu dizer.

Quantas vezes mais?

Quero me colocar dentro de um observatório, para poder assim me retirar com categoria dos meus elementares pesares.

De dentro desse observatório é que poderei fazer um retrato firme de mim mesmo.

Quantas vezes mais?

Como alterar o cronômetro de minha situação de vida?

Vou seguindo em frente, sem medo de pestanejar o futuro que se apresenta.

E assim, irei concluir o meu propósito de vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s