A síntese da sinapse

Foto por Anna Shvets em Pexels.com

Sinto uma aflição e ao mesmo tempo uma brisa, quando os anseios, da chapação plena, que dilacera os axônios dos meus neurônios, que emanam a cintilez lunar, chapada e plena, chegam a mim.

O universo só conpira quando eu sinto a nuvem dessa sensação ocasionalmente amarga e plena.

Ao mesmo tempo que emanam situações de brisa, elas também libertam o conhecimento que a sete chaves está aprisionado no meu íntimo ser.

Filosofando aos quatro cantos surge a simbiose com o Cosmos que é tão natural de nossa essência.

O conhecimento advém da clareza do pensamento ortodoxo no que se refere a pluralidade efêmera, assim como a vida, assim como a morte…

O amor é a resposta para todos os nossos anseios particulares.

E hoje eu só desejo o nectar da tão intransponível iluminação, carrego dentro de mim, o reflexo de quem eu fui.

Que os mestres orientais e as crias dos seus seguidores, reflitam de dentro de uma atmosfera rarefeita, mas plena no brilho secular de sua estória.

O cristal da clareza reluz de modo a esclarecer todos os questionamentos aqui postos.

Shalom!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s