Do pretérito ao obsoleto

Começo a imaginar minha sombra sob o lampejo da desesperança.

Sou horário que não tem retorno.

E todas as vezes que me vejo dentro de um compromisso com a razão, volta e meia me redimo de todos os meus pecados.

Como seria um mundo sem as pretensões divinas?

Palavras se nexo, em desordem, são palavras soltas ao vento.

Nunca poderia mais ter o sentido amplo das coisas atribuídas à boa fé.

Volto com o reparo de minha consciência, plena, divina, abençoada.

Agora, mais sagaz que anteriormente, destaco os pormenores de meus sentidos.

Sentimentos plenos…severos…algozes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s