Os momentos inóspitos

Penso em quantas definições poderia se suprimir o desejo interno de valorizar a arte, como arte plena, como arte descartável.

Sou de um tempo em que as fotografias eram fiéis aos momentos retratados.

Mas hoje vejo a superficialidade pairar num horizonte cheio de névoas.

Mas a arte fotografada, ela é estática, ela traz consigo interpretações, variantes interpretativas.

Queria voltar no tempo e fazer algumas coisas diferentes. Mas queria, acima de tudo, pairar sob a eternidade.

E que a arte de quem a faz, fique imortalizada nos estandartes de imagens reais.

Quero a brisa que está sobre mim.

Sou o elo de interpretações cósmicas.

E estou pronto para saborear mais uma taça de vinho tinto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s