Viés e reverso

Deixei de ter pesadelos, atualmente me reconsidero pioneiro da brisa, aquela mesma que me deixa constantemente aliviado.

E é através dessa que reitero o meu deslumbre pelas coisas fáceis.

Um dia fui refém de meus pecados. Hoje apenas faço de mim uma parte relevante de uma onipresente e fantasmagórica condição de vida.

Vida plena.

Uma vez mais faço um trocadilho das minhas situações de vida.

Armazeno dentro de mim a felicidade que me acompanha aos quatro cantos.

Quero viver pedaços de felicidade…

Frases desconexas, mentes relapsas. A comunhão com o coletivo me aprisiona, e nesta prisão, sou o único que faço de mim mesmo, uma suntuosidade de lamentações.

Estou certo de que fui um dia espelho de uma desgovernança.

E no atual governo, a quinta essência de um refratário romance, desencadeia versos errôneos e adversos.

Mais uma vez a poesia se fez presente nos entrelaces absurdos da culpabilidade.

Me sinto livre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s