Pedintes de rodoviária

Sempre que eu vou para Serra Talhada, o ônibus faz uma parada em Arcoverde. Lá, sempre é madrugada, e pedintes estão à espreita esperando uma ajuda para matar a fome.

Como eu gostaria de ajudar todas as pessoas…

Se for colocar no papel o número de pessoas que já ajudei, perderia as contas.

Porém lhes dou atenção. Ouço as suas estórias e os seus problemas. Muitos estão morrendo de fome.

Desço do ônibus para ir ao banheiro e para tomar um cafezinho.

É uma parada de 15 minutos, só dá para fazer isso.

Quando posso, ajudo, mas a atenção que dou a eles já é um diferencial. Não os desprezo, não os vejo como cidadãos invisíveis.

Acho que meu diferencial no tratamento com eles fazem com que crie uma atmosfera de amor e amizade.

A realidade do Brasil é essa.

Este senhor evocou Lula. Disse que ele era o único que ajudava de verdade

Lula.

O mito.

Os brasileiros são complexos. São densos. Passam necessidade. São simpáticos e especiais.

Os reverencio.

Para mim jamais serão invisíveis!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s